Archive for the ‘Música’ Category

Faroeste Caboclo animado

agosto 25 2009

Uma animação muito bacana da música Faroeste Caboclo do Legião Urbana:

Via Seu Estranho.

A culpa é do Heavy Metal

março 25 2009

Segura!

Ví no Sedentário.

Flight 666: O filme do Iron Maiden

janeiro 26 2009

Não podia ser melhor: ir no show do Iron Maiden em Março e ir ao cinema em Abril vê-los de novo.

Como isso?

Semana passada foi anunciado um documentário sobre a turnê Somewhere Back in Time.

O trailer você assiste abaixo:

Hot Pocket

outubro 08 2008

E nem é o da Sadia.

A volta?

agosto 29 2008

Eis que do nada o Multishow resolve fazer um especial do último (último?) show do Los Hermanos, no Rio de Janeiro. Foi ao ar essa semana na emissora e sai em DVD dia 10 de Setembro, vulgo perto do meu aniversário.

Para se ter uma idéia, são 31 músicas no DVD. 31!

O CD está um pouco mais compilado, com 14 no total.

Com certeza é um DVD que merece estar na estante.

Coluna do Bruno Medina sobre o DVD: http://colunas.g1.com.br/instanteposterior/2008/08/05/o-show-nao-pode-parar/

Periquita do Super Pop

junho 10 2008

É uma música feita por algum poeta desse forró.

Ê Brasil!

Periquita do Super Pop

Banda Katrina

Composição: Indisponível

Quem vai querer a minha piriquita?
A minha piriquita, a minha piriquita (2x)

Uma águia passou pelo meu quintal
Um grito muito forte,querendo namorar
Acho que tá querendo a minha piriquita
Que a muito tempo eu tô doida pra dar (2x)

Já passou duas semanas e essa águia sumiu
Eu não ouvi o grito dela por aqui
E agora o que é que eu faço pra dar a minha piriquita?
Que a muito tempo não dá uma voadinha

Vou dar minha piriquita pro Dj Elison
Pra sobrevoar com o águia
Eu não vou dar pro Dj Juninho
Ele pode metralhar minha piriquita
Vou dar minha Piriquita pro Dj Elison
Pra sobrevoar com o águia
Eu tô com medo de dar pro Juninho
Ele pode metralhar minha piriquita

Quem vai querer a minha piriquita?
A minha piriquita, a minha piriquita, a minha piriquita (2x)

Fonte: Letra do Terra

Vejam se não é uma música além de nossa capacidade mental?

Mallu Magalhães

março 09 2008

Está estranhando o nome? Tudo bem, eu perdôo. Eu sei que talvez uns 95% das pessoas aqui ainda não conhecem a Mallu… assim como eu não conhecia ela até esses dias.

Estava visitando o blog de um amigo meu, Sem Crise, quando eu encontrei um post dele dizendo um pouco mais dessa menina de 15 anos.

“Até que o Serginho Groisman apresentou Mallu Magalhães. Eu fiquei com aquela cara de “que troço é esse?”. Falou que a mina era sucesso na Internet, e eu nunca tinha ouvido falar, aí já estranhei! A moça chega no palco, diz que tem 15 anos e compõe músicas em inglês, negócio totalmente incomum. Pra completar, as influências dela são gente do naipe de Bob Dylan e Beatles. Ela não parece ser desse planeta.” – Jordan

Basicamente é isso.
Garota, 15 anos, influenciada por Bob Dylan, Beatles, Johnny Cash, entre outros, canta muito e compõe em inglês. Aliás, está compondo em português também agora.

Assistam aos vídeos e me digam se logo logo não desponta no mundo da música.

Kiko Loureiro

março 06 2008

Kiko Loureiro

Tudo começou hoje de manhã, quando o meu grupo teve que decidir qual seria o tema para um programa de rádio, para a matéria de Design Sonoro.

Bom, até aí, beleza. Ficou decidido que seria um programa que levaria convidados do mundo do rock nacional (e internacional, quem sabe um dia hehe) e rolaria uma entrevista bem descontraída. O detalhe é que não falaríamos de música. É, esse é o charme do programa.

Logo foram surgindo vários nomes de possíveis convidados famosos e super bacanas para o programa. Eis que eu falei do Kiko Loureiro. Aí o Júlio e a Mayara logo falaram: “Nooooossa”… e o restante do grupo ficou me olhando com cara de interrogação.

E aí está o motivo do post. Divulgar esse guitarrista fantástico.

Ele é guitarrista do Angra a muito tempo e manja MUITO. Pra se ter uma idéia, ele foi eleito por uma revista japonesa, o melhor guitarrista do mundo em 2006, deixando pra trás ícones como Blackmore e Steve Vai.

É, o cara não é pouca coisa. E quem tem influência declarada de Black Sabbath, Queen e Van Halen já merece respeito.

Aí vão dois vídeozinhos do cara que não manja nada de guitarra. 🙂

Pra ficar na memória…

março 03 2008

É assim que eu vejo o show do Iron Maiden ontem, no Palestra Itália, é para ficar na memória para sempre, pelo menos para os 37 mil pagantes que gritaram e cantaram junto os sucessos da banda.

Organizei a minha ida ao show em forma de diário para ficar mais dinâmico e divertido 🙂

Formação do Iron Maiden

Dezembro: Durante um dos intervalos da faculdade o Júlio vira pra mim e fala: “A gente tem que ir no show do Maiden… e já está acabando os ingressos!” e eu: “Ah Júlio, vambora então…”. Foi mais ou menos aí que começou a mini-jornada ao show do Iron Maiden, ontem. Conseguimos comprar arquibancada mesmo porque o resto já estava tudo esgotado. Pequeno detalhe: 3 dias depois de começar a vender os ingressos.

Pré-show: Depois de toda a ansiedade da chegada do dia do show, eis que começou de fato. Indo de metrô, é muito fácil perceber quem está indo ao show… é muito engraçado. O momento cômico de nº 1 partiu de dentro do metrô mesmo. Comecei a tentar adivinhar pra qual show todas aquelas pessoas estariam indo… me diverti a beça e com certeza acertei ao que iriam ao Soweto, Calcinha Preta, Calypso e claro, no Maiden.

Chegando na estação de metrô mais próxima do estádio, já estava lotado de gente indo… era impressionante. Tanto que nem tinha como errar o caminho, era só ir no embalo da multidão. Já lá dentro, eu e o Júlio tivemos a sorte de encontrar uma amiga nossa no meio da arquibancada… é, eu sei, nunca mais. Um detalhe importante para a entrada: era proibida a entrada de qualquer equipamento fotográfico. Por sorte o Júlio conseguiu… é, ele e mais 30 mil pessoas. A segurança do lugar estava precária e a revista da polícia não poderia ser diferente.

Depois de muitas fotos e vídeos com a câmera, surgiu o momento cômico nº 2: a Kiss FM, rádio rock, patrocinou o show e antes de começar estava tocando sua programação normal… foi engraçadão quando começou a tocar Ozzy e o povo, de tão ansioso, começou a cantar e pular. Impagável.

Logo depois disso rolou o último momento cômico do dia, o 3º: como estávamos na arquibancada, sempre vinha um engraçadinho da pista fazer graça pra gente. Assim que a ôla começou nas arquibancadas, vieram 3 caras da pista ficar fazendo ôla pra gente… na terceira vez que ele fez, tomou uma garrafinha de água cheia bem no meio do peito. Ficou bem quietinho depois.

Show de abertura: Não sei se todos sabem, mas o show de abertura foi da filha do baixista Steve Harris. É, como vocalista ela é uma boa filha do Steve Harris. rs

Show bem fraquinho mas serviu pra animar um pouco mais antes da chegada do Maiden.

A chuva: O show estava marcado para as 8h. Eis que às 7:55, começa uma chuva absurdamente forte. Imagina a cena: arquibancada, pulos, chuva e gritos. Foi animal! A chuva realmente veio pra lavar a alma antes do show. Uns 10 minutos depois, a chuva parou e realmente chegou a hora.

O show: Quando eles entraram tocando Aces High, é pra arrepiar e ir a loucura… não tem como, você pode ser o cara que menos gosta desse tipo de música, você arrepia. O estádio inteiro cantando a música junto também a de babar. Um outro detalhizinho, eu realmente pensei que a arquibancada fosse cair em determinadas partes do show, ela tremeu muito!

O set list do show foi esse:

1. Aces High
2. 2 Minutes To Midnight
3. Revelations
4. Trooper
5. Wasted Years
6. The Number of the Beast
7. Run to the Hills
8. Rime of the Ancient Mariner
9. Powerslave
10. Heaven Can Wait
11. Can I Play with Madness
12. Fear of the Dark
13. Iron Maiden

Bis
14. Moonchild
15. The Clairvoyant
16. Hallowed be Thy Name

Agora vamos por partes.

Wasted Years, Aces High, 2 Minutes To Midnight são músicas sensacionais. Pergunte a qualquer pessoa do show quais foram as melhores, essas estarão entre elas.

The Number of the Beast, Iron Maiden, Run to the Hills eu acho que nem preciso falar sobre elas porque… é, digamos… clássico é clássico. Pra sempre.

The Trooper foi uma das músicas mais sensacionais do show. Assim que o palco mudou de fundo, o povo começou a gritar insanamente. Bruce Dickinson sabe como levantar a galera e fez isso nessa música de forma maestral. Já falei que ele é o cara?

Fear of the Dark essa é a música que paga o ingresso, sabe? Quando começa o coro, não tem como não arrepiar da cabeça aos pés e começar a cantar junto.

Prós: Vou citar poucos, mas não são só esses, ein?

Algumas frases do Bruce vão ficar na memória. Ele falou em uma determinada parte do show algo como: “nós criamos um carinho pela américa do sul, desde o primeiro rock in rio… especialmente um carinho com o Brasil”.

“Cada vez que voltamos aqui está maior e maior…”

“Espero que ano que vem possamos estar aqui de novo. E eu quero isso”

O palco do show é muito bom também. Bem ao estilo Maiden, para o Bruce poder correr para todos os lados pulando, escorregando e tudo mais. Ah, só uma lembrança… ele fará 50 anos em 2008. Já falei que ele é o cara?

Performance animal de Nicko McBrain, “O” baterista. E claro o quarteto Dave Murray, Adrian Smith, Janick Gers e Steve Harris.

O público deve entrar nos prós também. E digo porque. Os metaleiros costumam ter uma fama aqui no Brasil de serem encrenqueiros, briguentos e tudo mais de ruim que existe. Nesse show, em particular, não ví nada disso.

Contras: Nada de efeitos especiais para esse show. O Bruce até falou sobre isso durante o show, mas não deu pra ouvir direito. Tudo por conta do outro contra do show, o som. Estava meio ruim mesmo, não na parte das músicas que até dava pra ouvir direitinho, mas quando o Bruce ía falar com a galera era totalmente abafado.

A segurança, que não segurou nada. Tava tudo liberado, todo mundo entrava com o que queria… virou festa.

Bom, é isso. Pelo menos pra mim, estreei o blog com o pé direito.

Espero que gostem e continuem acessando o Push the red button.